A realização do sonho da casa própria é uma decisão que requer muito planejamento e preparação por envolver grandes valores emocionais e financeiros. É preciso pesar todos os prós e contras, friamente, para que esse sonho não se torne um pesadelo. Mas calma, se você estiver nesse dilema, nós vamos te ajudar.

Neste artigo, trouxemos as principais perguntas que devem ser feitas antes de sair procurando seu primeiro imóvel e evitar futuras dores de cabeça. Veja quais são elas!

Estou pronto para comprar?

A não ser que já tenha economizado o suficiente para a compra do imóvel à vista, será preciso assumir um risco financeiro alto e de muito longo prazo. Portanto, a primeira análise a ser feita é de suas finanças.

Fazer um financiamento facilita, mas é importante ponderar sua estabilidade financeira e se conseguirá arcar regularmente com as prestações — e demais taxas — no decorrer dos anos. A inadimplência, nestes casos, pode levar à perda do imóvel.

Não deixe de considerar, ainda, seu estilo de vida atual e seus planos para realizar o sonho da casa própria. Para uma pessoa que não deseja fincar raízes em um só lugar, por exemplo, o aluguel seria a melhor opção.

Que tipo de financiamento devo fazer?

A modalidade de pagamento ou financiamento deve ser escolhida de acordo com suas necessidades e possibilidades financeiras.

Imóveis novos ou usados podem ser financiados por instituições bancárias, acrescidos de juros e taxas. Já imóveis na planta, frequentemente, oferecem a opção de financiamento diretamente com a imobiliária — que tem como benefício maior flexibilidade de negociação. Em todos eles, é necessário o pagamento à vista de uma entrada, cerca de 20% a 30% do valor total do imóvel.

Uma opção para quem tem menos recursos, e está disposto a esperar mais alguns anos para adquirir seu imóvel, é a contratação de um consórcio.

Qual é a melhor maneira de economizar?

Se você decidiu economizar um pouco mais para realizar seu sonho da casa própria, segue algumas dicas:

  • faça uma planilha de todos os seus gastos para acompanhamento;
  • corte os pequenos gastos do dia a dia e reduza as despesas com lazer (cafezinho, restaurantes, cinema etc);
  • evite grandes despesas (você não precisa daquele celular de última geração);
  • quite suas dívidas e não faça novas (esqueça compras parceladas);
  • guarde 30% de sua renda mensal (esse será o valor comprometido por um financiamento);
  • se morar com seus pais, aproveite e economize um pouco mais.

Em qual região morar?

Quando estiver escolhendo o imóvel faça uma lista de todas as regiões de seu interesse e pesquise o máximo de informações possível, como nível de segurança, possibilidade de alagamentos, oferta de transporte público e qualquer outra que for importante para você e sua família.

Antes de fechar negócio, visite o imóvel em horários diversos, avalie as ruas próximas e faça perguntas úteis aos vizinhos. Regiões com projetos de melhoria em vista, como estações de metrô e construção de shoppings valorizarão o imóvel no futuro.

Que cuidados devo ter com a documentação?

Muitos problemas ocorrem por falta de atenção ao assinar documentos ou pela ilegitimidade destes. Sempre leia atentamente todos os contratos e, se for necessário, peça o auxílio de um advogado. Quando as transações são feitas por meio de imobiliárias, o corretor de imóveis é responsável por garantir que toda a documentação esteja correta.

Para imóveis na planta, não deixe de verificar cláusulas de atraso na entrega do imóvel ou defeitos de construção. No caso de imóveis usados exija e analise toda a documentação relativa ao imóvel, bem como do vendedor.

Nunca deixe de registrar o contrato de promessa de compra e venda em cartório, para que tenha seus direitos garantidos.

Seguindo essas dicas, o risco de o sonho da casa própria virar um pesadelo será muito menor. Para dar esse grande passo, com segurança, só é preciso um pouco de cautela, organização e planejamento.

Leia também: Como a imobiliária pode ajudar na hora de vender ou alugar seu imóvel