Independência, segurança, patrimônio: muitas são as razões para adquirir um apartamento ou uma casa própria. Esse é um investimento muitas vezes alto, mas que pode ser realizado com um bom planejamento financeiro. Analisando suas finanças pessoais, estabeleça se o investimento será de curto, médio ou longo prazo.

Planejamento financeiro pode parecer um hábito complicado, mas não é. Antes de qualquer primeiro passo para comprar um imóvel, quite as suas dívidas. Então, esteja pronto para pensar no seu futuro!

1 – Diagnóstico de realidade

Geralmente, a compra de um imóvel requer um planejamento financeiro de longo prazo. Por isso, trace rotas econômicas para alcançar seu objetivo. Esse diagnóstico precisa definir quanto você ganha, quanto pretende gastar e quanto poderá economizar. Liste tudo que você planeja: terá filhos? Quantos serão? Deseja animais domésticos? Quantos carros? Onde você se enxerga em 10 anos?

2 – Escolha o imóvel

Casas são imóveis mais caros que apartamentos, e propriedades ainda na planta são ainda mais baratas. Mas, é claro que sempre vale a pesquisa de preços. Leve em consideração que, quanto maior for a sua entrada no imóvel, menores serão as parcelas.

3 – Defina a forma de pagamento

Comprar um imóvel pode ser através de financiamentos, compra à vista ou consórcio. O FGTS é uma alternativa, já que pode ser sacado em casos de compra do primeiro imóvel.

4 – Faça um planejamento financeiro

O primeiro passo para o sucesso das suas finanças pessoais é otimizar o seu dinheiro cortando tudo que for supérfluo. Avalie o tempo e investimento da sua compra com seus hábitos financeiros e corte o cafezinho, o lanche ou a roupa nova. Para maior controle, anote todas as pequenas despesas.

Repense também os gastos considerados fixos: planos de telefones, televisão, internet, assinaturas, etc. Outra dica importante: evite usar cartão de crédito para não criar novas dívidas.

5 – Tenha uma reserva de emergência

Enquanto você quita o seu imóvel, imprevistos podem ocorrer. Por isso, tenha uma reserva de emergência ou um investimento junto ao Tesouro Direto ou a um CDB de liquidez diária. O dinheiro poupado deve ser destinado para essa reserva, que depois será abatida em um valor significativo no momento de comprar o imóvel.

6 – Pesquise muito

Antes de assinar contrato, realize uma vistoria no imóvel e verifique se não está precisando de reformas. Avalie ainda os sistemas hidráulicos e elétricos, assim como os acabamentos, e conheça o bairro onde irá morar. Não desperdice o seu planejamento financeiro com algo que trará problemas no futuro.

7 – Olhar investidor

Invista em imóveis que, com o tempo, serão valorizados de acordo com a escolha de uma região em ascensão econômica. Evite propriedades que precisem de reparos ou investimentos e consulte ainda: data de construção e histórico de preços do imóvel, assim como infraestrutura e índices de criminalidade do bairro escolhido.

8 – Acúmulo de parcelas

Esse é um erro muito comum. Não deixar as parcelas acumularem faz parte do planejamento financeiro também. Depois do contrato, é importante manter suas finanças pessoais em dia. Se há risco de acumular, considere imóveis usados para a sua compra, pois são mais em conta e oferecem melhores condições de contrato.

9 – Gastos extras

Adquiriu o patrimônio, mas esqueceu os gastos pós compra? Atenção. Não esqueça de contabilizar também o gasto com taxas de transferência, documentações, impostos, IPTU, seguro, condomínio, entre outros encargos.

Anotou as dicas? Qualquer dúvida, entre em contato com a gente. Nós ajudaremos você a encontrar o imóvel que está procurando.

 

Siga nossa página: FacebookInstagram

Leia também: Compre o seu primeiro imóvel pelo melhor preço