Se você está pensando em alugar um imóvel e já está sofrendo por ter que pedir que alguém seja seu fiador, tenha calma. A obrigatoriedade de oferecer algum tipo de segurança ao locador em caso de inadimplência do locatário ainda existe. Mas agora nós temos algumas opções.

A única vantagem em optar pela figura do fiador é essencialmente financeira, pois não gera nenhum custo. Em contrapartida, pode ser bem difícil encontrar um parente ou amigo, proprietário de um imóvel na mesma cidade em que você pretende alugar, que esteja disposto a assumir tal responsabilidade.

Por esse motivo, listamos as opções que podem ser aceitas para substituir a figura do fiador na locação de imóveis e que talvez você não conheça. Confira abaixo.

Depósito caução

Esse tipo de garantia consiste em depositar o valor de até três meses de aluguel em uma conta poupança de titularidade do locador, no momento do contrato. Valor esse, que será devolvido com os devidos rendimentos e correção monetária ao fim da locação. Isso se o locatário tiver cumprido corretamente suas obrigações contratuais.

A desvantagem dessa garantia é ter que dispor de todo o dinheiro de uma só vez. Mas, para quem conseguir optar por ela, pode considerar como uma espécie de investimento.

Seguro-fiança

O seguro-fiança tem sido cada vez mais utilizado nas transações de locação de imóveis. Por motivos como, por exemplo, a rapidez no recebimento do seguro e o receio de que a quantia dada como caução não cubra o valor inadimplente, alguns proprietários estão, inclusive, deixando de aceitar os outros tipos de garantia.

A apólice desse seguro é contratada pelo locatário, tendo como beneficiário o locador, passando por uma análise de crédito. A cobertura básica garante o pagamento do aluguel em atraso, mas é possível incluir outras coberturas como para danos ao imóvel, pagamento do condomínio e IPTU.

O preço pode variar entre um e dois alugueis e meio, dependendo da seguradora e das coberturas contratadas. Porém, esse valor pode ser parcelado e é comum negociar um abatimento no aluguel quando o proprietário exige a contratação do seguro. Por se tratar de um seguro, o dinheiro não é devolvido.

Título de capitalização

Já existe um título de capitalização específico para ser utilizado em substituição ao fiador. Ele fica vinculado ao contrato de locação e, assim como no depósito caução, se não houver quebra contratual, o dinheiro é devolvido ao locatário. Porém, o saque só poderá ser realizado com a autorização do locador.

A grande desvantagem dessa opção de garantia é que os proprietários exigem um alto valor de aplicação no momento da contratação do título. Em geral, esse valor equivale a, no mínimo, seis meses de aluguel.

É importante salientar que o título de capitalização não se trata de um investimento e que sua remuneração é inferior à da poupança.

Cessão fiduciária

Esse tipo de negociação é mais comumente utilizado quando as partes contratantes têm domínio do mercado de investimentos. Nela, o locatário oferece como garantia quotas em fundos de investimentos que, em caso de inadimplência, são transferidas para o nome do locador, por contrato de cessão de crédito.

Como vimos, atualmente existem algumas opções para quem não quer (ou não pode) recorrer a um fiador. Algumas podem até não serem tão vantajosas financeiramente, mas só a tranquilidade de não ter que transferir uma responsabilidade tão grande para outra pessoa talvez valha a pena, não é?

Leia também: Comprar ou alugar um imóvel: qual é a melhor opção?